(31) 3337-7050
(31) 99955-7171
Psicoterapias
Psicoterapia
Inteligencia Emocional no Casamento

Inteligencia Emocional no Casamento

O  amor  não  consiste  em  olhar um para o outro, mas  em olhar juntos na mesma direção. 

Na  verdade  o homem e  a mulher  não olham somente na mesma direção, eles trabalham na mesma direção.

Anne M. Lindberg

Presente do Mar

O que é Inteligência Emocional?

Inteligência Emocional é um conjunto específico de aptidões utilizadas no conhecimento e processamento das informações relacionadas à emoção. Na história da psicologia moderna o termo Inteligência Emocional foi criado pelo americano Daniel Goleman na década de 90 e significa a capacidade de sentir, entender, controlar e modificar o estado emocional próprio ou de outra pessoa de forma organizada.

Diferenças emocionais entre homens e mulheres

Existem duas realidades emocionais num casal, a dele e a dela. As raízes dessas diferenças emocionais embora possam ser em parte biológicas, também podem ser identificadas às influências socioculturais que separam os mundos emocionais dos meninos e das meninas.

Quando as meninas brincam juntas, fazem isso em grupos pequenos, íntimos, com ênfase na minimização da hostilidade e maximização da cooperação, enquanto as brincadeiras dos meninos são em grupos maiores, com ênfase na competição. Os meninos se orgulham de uma independência e autonomia solitárias, enquanto as meninas se veem como parte de uma teia de relações. Assim, os meninos se sentem ameaçados por qualquer coisa que desafie sua independência, enquanto as meninas são ameaçadas por um rompimento em seus relacionamentos.

Em resumo, esses contrastes no aprendizado emocional promovem aptidões bastante diferentes, com as meninas tornando-se capazes de ler sinais emocionais verbais e não-verbais, de expressar e comunicar seus sentimentos e os meninos tornando-se capazes de minimizar emoções que tenham a ver com vulnerabilidade, culpa, medo e dor.

No relacionamento, homens e mulheres querem e esperam coisas bastante diferentes de um casamento. As mulheres buscam ligação emocional e para elas intimidade significa discutir tudo, sobretudo a própria relação. Os homens, muitas vezes, não entendem o que as esposas querem deles, e estão satisfeitos em falar de coisas e fazer coisas em conjunto.

E estas diferenças emocionais também aparecem na forma como os casais lidam com as queixas e divergências que qualquer relacionamento enfrenta. Questões como a frequência com a qual o casal faz sexo, como educar os filhos, questões econômicas e tarefas domésticas não são o que mantém ou rompe um casamento. Ao contrário, é como o casal discute esses pontos sensíveis que mais importa para o destino de um casamento. Chegar a um acordo sobre como discordar é fundamental para a sobrevivência conjugal. Homens e mulheres têm de superar as diferenças de gênero inatas ao abordarem emoções tão turbulentas.

Estilos de casamento

Segundo John Gottman, não existe um único tipo de casamento bem sucedido. Os casamentos se definem, com o passar do tempo por um dentre cinco tipos diferentes. Dois destes tipos levam ao fim do casamento enquanto os outros três estilos completamente diferentes se mostram bastante estáveis. Quanto mais um casamento se aproximar de um desses três estilos, maiores as chances de estabilidade prolongada e felicidade.

A maneira de identificar qual o estilo de casamento de um determinado casal é pela análise de como discutem. Através de suas pesquisas, John Gottman identificou três tipos de casamento estável com base em seu estilo de discussão: Casamento de VALIDAÇÃO, casamento VOLÁTIL ou casamento de EVITAÇÃO.

ESTILO DE CASAMENTO DE VALIDAÇÃO

Nesse estilo de casamento, quando o casal está discutindo, demonstra muita calma e tranquilidade, tem uma grande capacidade de ouvir e compreender o ponto de vista e as emoções do outro. No meio de uma discussão, o casal continua a mostrar ao parceiro que considera suas opiniões e emoções válidas, ainda que não concorde com elas.

Esse estilo de casal costuma exibir um padrão específico (validação/persuasão/acordo) durante seus conflitos. Em geral, eles começam ouvindo os argumentos um do outro. Depois de expressarem adequadamente suas opiniões, eles passam para a fase de tentar convencer o outro de que sua posição é a correta. As tentativas de convencer o outro são bem intencionadas. Não há cabo de guerra nem insistência de que somente o ponto de vista próprio é o correto. E finalmente, eles negociam um acordo que agrade a ambos ou com o qual possam pelo menos conviver.

Outras características deste estilo de casamento: Os casais são bons amigos que valorizam o nós no casamento, em detrimento de objetivos e valores individuais. Ao dialogar, costumam concluir a frase do cônjuge. Em casa, raramente possuem espaço individual ou uma grande necessidade de privacidade. Valorizam a comunicação, a transparência verbal, o estar apaixonado, demonstrar afeto, compartilhar seu tempo, suas atividades e interesses com o parceiro.

O perigo para os casais de validação, está em transformarem o casamento num acordo desapaixonado, no qual o romantismo e a individualidade sejam sacrificados em nome da amizade e da união.

ESTILO DE CASAMENTO VOLÁTIL

Esses casais discutem muito e demoram um tempo ainda maior reconciliando-se. Não existe um parceiro retraído ou distante num casamento volátil. Essas relações são caracterizadas por um alto nível de envolvimento durante as discussões.

Os casais voláteis pulam a fase de validação durante seus conflitos. Não tentam entender o parceiro nem demonstrar empatia. Vão diretamente para a fase da persuasão onde o mais importante é ser o vencedor. Apesar desta fase parecer nunca terminar, eles finalmente conseguem chegar à última fase e solucionar as divergências.

Características deste estilo de casamento: Apreciam a independência, convictos de que o casamento deve valorizar e fortalecer a individualidade. Ao dialogar, tendem a interromper a frase do outro com perguntas. Em casa, costumam ter espaços separados e pessoais, e respeitam a privacidade do cônjuge. São bastante abertos no que diz respeito aos seus sentimentos tanto os positivos quanto os negativos.

A facilidade com que revelam seus pensamentos e emoções mais íntimas estimula igualmente as discussões e o romantismo. Esses casamentos costumam ser cheios de paixão e excitação, como se o perigo conferisse mais vibração ao casamento.

Os perigos para os casais voláteis estão nas provocações e brincadeiras que podem resultar em ressentimentos e no seu compromisso inflexível com a honestidade a qualquer preço que pode provocar mágoas e constrangimentos.

ESTILO DE CASAMENTO DE EVITAÇÃO

Nesse estilo de casamento parece acontecer pouca coisa entre os cônjuges durante uma discussão, pois eles preferem não dar importância às divergências em vez de solucioná-las, terminando qualquer atrito concordando em discordar.

Eles conseguem compreender que têm discordâncias, mas não exploram a natureza emocional exata de suas divergências. Solucionar um problema significa ignorar as diferenças. Um dos parceiros concorda em ter uma atitude semelhante à do outro ou simplesmente dão tempo ao tempo. Solucionam suas divergências evitando-as ou minimizando-as. Em vez de resolver os conflitos, reafirmam aquilo que amam e valorizam no casamento, acentuam aquilo que é positivo e aceitam o resto.

Contudo, o nível de companheirismo e cumplicidade é bastante baixo nesse estilo de casamento. Os cônjuges valorizam o afastamento e mantêm a autonomia em sua maneira de usar o espaço. Esses casais costumam ter vidas calmas e agradáveis.

Existem dois perigos neste estilo de casamento: a inexperiência dos cônjuges na condução de um conflito, se algum dia forem forçados a fazê-lo; e a solidão, quando marido e/ou esposa acabar sentindo que o parceiro não o conhece nem o compreende realmente, visto que nenhum deles tem de fato consciência das verdadeiras origens emocionais de suas divergências. 

Qual é o seu estilo de casamento?

Como vimos anteriormente, John Gottman classificou os casais estáveis em três estilos, tendo como base o modo de agir com o parceiro numa discussão: a expansividade emocional e a frequência e ritmo das tentativas de convencer o outro durante o conflito.

Mas os casais que se enquadram num dos três estilos estáveis de casamento diferem não só no modo como lidam com as divergências, mas também nas idéias e atitudes com as quais se sentem à vontade na relação.

Com base nestes três estilos, Jonh Gottman em seu livro Casamentos: por que alguns dão certo e outros não, apresenta o questionário SEU TIPO CONJUGAL. O questionário avalia como está o seu casamento neste momento e suas opiniões ou preferências sobre como você acha que deveria ser um casamento.

Qualquer que seja a situação atual do seu casamento, é útil tomar consciência do tipo de relação ideal para você. Comparando os resultados, você poderá observar as diferenças ou semelhanças na maneira de você e seu parceiro perceberem seu casamento ou que rumo gostariam de tomar. E desta forma, poderão discutir as mudanças que gostariam de fazer, de modo a encontrar formas mais inteligentes e equilibradas de abordarem as divergências.

SEU TIPO CONJUGAL

Instruções: Responda SIM ou NÃO para cada afirmação abaixo segundo sua concordância com a frase:

PARTE 1

O ESTILO DE CASAMENTO QUE BUSCA EVITAR OS CONFLITOS É O MELHOR PARA VOCÊ?

  1. Costumo ocultar meus sentimentos para não magoar meu parceiro.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Quando discordamos, acho que não vale a pena analisar nossos sentimentos e motivações.

       Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Quando discordamos, geralmente solucionamos o problema retornando às nossas convicções básicas acerca dos diferentes papéis de homens e mulheres no casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Temos muitos amigos individualmente

      Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. É importante frequentar uma igreja ou templo regularmente

      Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Muitos conflitos conjugais são solucionados simplesmente com o passar do tempo

      Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Cada um de nós tem suas próprias atividades individuais.

      Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Durante um conflito conjugal, não se ganha muito imaginando o que passa no nível psicológico.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Nossos valores religiosos nos dão uma noção clara dos objetivos da vida.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Quando estou de mau humor, prefiro ficar sozinha até melhorar.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Não me sinto muito à vontade com demonstrações fortes de emoção negativa no meu casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Buscamos orientação em nossos valores religiosos ou culturais fundamentais para a solução de conflitos.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Simplesmente aceito a maior parte das coisas que não posso mudar em meu casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Frequentemente concordamos em não falar sobre nossas discordâncias.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Em nosso casamento os papéis de marido e mulher são bem demarcados.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Simplesmente não temos muitas discordâncias.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Quando temos alguma divergência de opinião, em geral simplesmente deixamos o assunto de lado.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Temos muito poucos motivos para discutir.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Geralmente falar muito de nossas divergências torna os problemas piores.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Prefiro não discutir com meu parceiro algumas áreas pessoais da minha vida.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Não adianta muito tentar convencer meu parceiro de meu ponto de vista.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Não adianta muito ficar visivelmente zangada com meu parceiro.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Pensar positivamente soluciona uma série de problemas conjugais.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. No casamento, em geral é melhor ater-se aos valores tradicionais sobre homens e mulheres.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Prefiro solucionar sozinha muitos de meus sentimentos negativos.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. De modo geral, ficar discutindo muitos sentimentos negativos só piora as coisas no casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Se você simplesmente relaxar, seus problemas serão solucionados por si mesmo.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Quando falamos de nossos problemas, descobrimos que simplesmente eles não são tão importantes diante de nosso casamento como um todo.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Homens e mulheres devem ter papéis distintos no casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

Contagem: Some o número de vezes em que você respondeu SIM. Se o total for superior a oito, provavelmente você se sente à vontade com uma filosofia conjugal de evitação de conflitos.

SENTE-SE BEM NUMA FILOSOFIA DE EVITAÇÃO (CONTAGEM DE SIM SUPERIOR OU IGUAL A 8) ?

                                                     Sim                                Não

Você

Seu parceiro

PARTE 2

VOCÊ SE SENTE À VONTADE NUM ESTILO DE CASAMENTO VOLÁTIL OU VALIDANTE?

  1. Acho uma boa idéia termos vários amigos individualmente.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Acredito em enfrentar honestamente as discordâncias, qualquer que seja o assunto.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Comumente temos atividades em separado.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. O sentimento de união é fundamental no nosso casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Os cônjuges devem ser diretos e honestos, qualquer que seja o resultado.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Sinto-me perfeitamente à vontade com a expressão intensa de sentimentos negativos.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Às vezes gosto de uma boa discussão com meu cônjuge.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. O aspecto mais importante do casamento é o companheirismo.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Às vezes o ciúme é um problema no nosso casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. É importante manter a própria individualidade no casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Acho que devemos discutir, mas apenas as questões importantes.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Frequentemente não fazemos as refeições juntos.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Nosso casamento baseia-se em sermos o melhor amigo um para o outro.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Gosto de tentar convencer meu parceiro quando discordamos.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. As crenças religiosas e outras que compartilhamos são fundamentais em nosso casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Acredito que nosso casamento possa manter o romantismo.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Frequentemente olhamos nossos álbuns de fotografias juntos.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Cultivamos a noção do nós em nosso casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Compartilhamos todos os aspectos pessoais e emocionais em nosso casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Em nosso lar, todos os espaços são partilhados.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Jamais tiraria férias sem meu cônjuge.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Às vezes é bom expressar a raiva.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Considero importante discutir até mesmo as menores coisas.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Gosto de formular nossos valores através de discussões conscientes.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Partilho com meu cônjuge todas as coisas pessoais.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Sinto-me à vontade apenas com uma quantidade moderada de demonstrações emocionais.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. É fundamental cultivar o sentido de união no casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Manter uma certa distância no casamento ajuda a manter o romantismo.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Para o casamento é importante o conjunto dos valores tradicionais.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

  1. Muito poucas são as questões que merecem ser discutidas no casamento.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

Contagem: Nas colunas Validante e Volátil a seguir, faça um V no número de cada questão em que respondeu SIM. Em seguida, some separadamente todas as marcas em cada coluna. Divida cada resultado por 15. Com isso você obterá sua porcentagem para o nível ideal em cada estilo.

Por exemplo, talvez você obtenha 53% na escala Volátil e 80% na escala Validante. Isto indica que você se sente melhor com uma filosofia conjugal de validação, embora combine bem com alguns elementos do tipo volátil.

VOLÁTIL : 1,2,3,5,6,7,9,10,12,14,16,22,23,24,28.                                 

VALIDANTE: 4,8,11,13,15,17,18,19,20,21,25,26,27,29,30.                              

Total Volátil : 15 =  % Volátil

Total Validante : 15 =  % Validante     

                                      Volátil                                            Validante

                           Sim                      Não                     Sim                      Não

Você

Seu Parceiro

O lado positivo do casamento: Amor e Respeito

Entretanto, a felicidade no casamento não se encontra unicamente num estilo específico de discussão ou reconciliação. A verdadeira diferença entre casais felizes e aqueles profundamente infelizes no casamento é o equilíbrio entre suas atitudes e sentimentos positivos e negativos dentro da relação.

Enquanto houver mais sentimentos e comportamentos positivos do que negativos entre marido e mulher, a probabilidade é que o casamento permaneça estável e feliz. O amor e o respeito são fundamentais, pois asseguram que a proporção positivo-negativo de um casamento penda fortemente para o lado positivo.

Mesmo quando divergem, os casais estáveis precisam manter o equilíbrio positivo em suas emoções negativas. Quando discutem suas divergência, precisam mostrar-se menos radicais na expressão de sentimentos como raiva ou frustração. Podem queixar-se e zangar-se, mas devem ser menos críticos com o parceiro, menos defensivos, menos desrespeitosos, e precisam saber ouvir com atenção, sem uma postura de desaprovação ou desprezo.

As demonstrações de amor e respeito podem ser relacionadas numa lista de formas de demonstrar o lado positivo da relação:

  • Ser afetuoso
  • Demonstrar interesse
  • Demonstrar apreço
  • Demonstrar consideração
  • Demonstrar empatia
  • Mostrar aceitação
  • Fazer brincadeiras
  • Compartilhar alegrias

Verifique no questionário abaixo como anda o seu casamento, de que maneira os sentimentos positivos são expressos no relacionamento.

PARTE 3

EM SEU CASAMENTO HÁ AMOR E RESPEITO SUFICIENTES?

Responda SIM ou NÃO para cada uma das afirmativas a seguir de acordo com sua concordância ou discordância.

1) Meu parceiro se interessa pelas minhas opiniões.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

2) Meu parceiro se interessa por meus sentimentos.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

3) Raramente eu me sinto ignorado.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

4) Nós somos muito carinhosos.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

5) Nós nos ouvimos mutuamente.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

6) Nós respeitamos as idéias um do outro.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

7) Somos afetuosos um com o outro.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

8) Sinto que meu parceiro cuida bem de mim.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

9) O que digo tem importância.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

10) Sou importante nas nossas decisões.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

11) Nosso casamento tem muito amor.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

12) Temos interesse genuíno um pelo outro.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

13) Adoro ficar com meu parceiro.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

14) Somos bons amigos.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

15) Mesmo nos momentos difíceis, conseguimos demonstrar empatia.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

16) Meu cônjuge considera minha opinião.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

17) Meu cônjuge considera-me fisicamente atraente.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

18) Meu parceiro demonstra entusiasmo comigo.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

19) Sinto-me incluído na vida de meu parceiro.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

20) Meu cônjuge tem admiração por mim.

Você:      SIM      NÃO                    Seu parceiro:      SIM      NÃO

Contagem: Se você marcou SIM em menos de sete afirmações, provavelmente não está se sentindo adequadamente amada e respeitada em seu casamento. Você precisa mostrar-se muito mais ativa e criativa se quiser imprimir afeto em sua relação.

O lado negativo do casamento: Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse

Jonh Gottman descobriu que os casais infelizes no casamento ou fadados a se divorciar entram num ciclo destrutivo das interações, emoções e atitudes que leva ao fim do casamento. Isto costuma acontecer em quatro etapas previsíveis, que ele chamou de Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse, com cada cavaleiro preparando o terreno para o seguinte, desgastando a comunicação e fazendo com que os cônjuges prestem atenção cada vez mais para as falhas um do outro e do casamento.

O Primeiro Cavaleiro do Apocalipse: A CRÍTICA

Crítica são os comentários negativos sobre a personalidade do parceiro, em geral num tom que atribui culpa. A crítica pode ser confundida com a queixa, e as queixas podem fazer bem ao relacionamento, sobretudo quando o marido ou a mulher veem suas reivindicações sendo atendidas. Mas há uma diferença fundamental entre queixa e crítica.

A queixa é dirigida a uma atitude ou comportamento específico, enquanto a crítica costuma generalizar e atinge o caráter da pessoa. A queixa simplesmente expõe os fatos, a crítica costuma ser recriminatória, um ataque à pessoa e não ao fato.

Numa queixa, a esposa aponta especificamente o que a irrita e censura a ação, não o marido, dizendo como este comportamento a fez sentir-se. É uma expressão de inteligência emocional básica, objetiva, clara, assertiva, não reativa nem passiva.

Muitas vezes a crítica expressa frustração não declarada e ira não resolvida. Um cônjuge sofre calado enquanto o outro fica alheio à irritação crescente. Quando o que sofre calado não consegue mais conter os sentimentos negativos, estoura e parte para a ofensa. A crítica deixa a pessoa que a recebeu sentindo-se envergonhada, desgostosa, censurada e na defensiva, sendo provável que contrataque com críticas também.

O Segundo Cavaleiro do Apocalipse: O DESPREZO

Um cônjuge que despreza o outro na verdade tem a intenção de insultá-lo ou ferí-lo psicologicamente. O sentimento de desprezo muitas vezes surge quando um cônjuge está desgostoso com o outro ou farto dele, quando desaprova suas atitudes e deseja ficar quite.

Os pensamentos negativos sobre o parceiro abastecem o desprezo com insultos, xingamentos, e formas hostis de humor como o escárnio e a ridicularização. O desprezo acaba com a admiração e com os pensamentos afetuosos.

O Terceiro Cavaleiro do Apocalipse: ATITUDE DEFENSIVA

Quando o marido ou a mulher se sente alvo de desprezo, é natural que assuma uma atitude defensiva: pode eximir-se das responsabilidades, justificar seus problemas, contratacar com críticas, insistir nos mesmos pontos, lamuriar e se colocar como vítima. A atitude defensiva também pode se expressar no tom de voz ou na linguagem corporal, como cruzar os braços.

A atitude defensiva é muito prejudicial ao casamento porque os cônjuges não escutam um ao outro quando acham que estão sendo atacados, não conversam sobre seus sentimentos e não buscam soluções para as divergências.

O Quarto Cavaleiro do Apocalipse: INCOMUNICABILIDADE (barreira de silêncio)

Quando os parceiros não conseguem chegar a uma trégua e continuam deixando a crítica, o desprezo e a atitude defensiva comandar a relação, vai chegar uma hora em que um cônjuge vai se fechar porque a conversa ficou demasiado intensa. Ele vira uma parede, sem dar qualquer indicação de estar ouvindo ou compreendendo o que o outro diz.

O silêncio em sua maioria das vezes vem do marido, já que por ter uma reação fisiológica mais radical ao estresse conjugal, o homem tende mais a fugir dele. Os homens se retraem quando as emoções se exaltam e acham melhor ficar mudos para não aumentar a tensão.

Entretanto, se os parceiros não estiverem dispostos a conversar, os problemas continuarão sem solução agravando o isolamento.

Inteligência Emocional no casamento

Voltando às diferenças de gênero na vida emocional, assim como os homens têm muito mais probabilidade de evitar o conflito e de fechar-se, as mulheres têm mais de encarar o conflito e de criticar os maridos. Essa assimetria surge como resultado das esposas cumprirem seu papel de administradoras de emoção.

Enquanto elas tentam levantar e resolver discordâncias e queixas, os maridos relutam mais em meter-se no que vão ser discussões acaloradas. Quando a esposa vê o marido retirar-se da briga, aumenta o volume e intensidade da queixa, começando a criticá-lo. Enquanto ele se torna defensivo ou se fecha, ela se sente frustrada e furiosa, e assim acrescenta desprezo para realçar a força de sua frustração. Quando o marido se vê objeto da crítica e desprezo da esposa, começa a cair nos pensamentos de vítima inocente ou de justa indignação que provocam cada vez mais facilmente o descontrole emocional. Para proteger-se do descontrole, torna-se cada vez mais defensivo ou  simplesmente se fecha por completo. Mas, quando os maridos se fecham, isso dispara o descontrole nas esposas, que se sentem inteiramente desrespeitadas. E à medida que o ciclo de brigas cresce, é demasiado fácil perder o controle.

E assim, na trajetória para o fim da relação, as trágicas consequências dos déficits de aptidão emocional são evidentes quando o casal se vê apanhado no ciclo de crítica e desprezo, atitudes defensivas e mutismo, pensamentos angustiantes e desequilíbrio emocional. O próprio ciclo reflete a desintegração da autoconsciência e do autocontrole emocional, da empatia e da capacidade de acalmar um ao outro e a si mesmo. 

A estratégia mais adequada para fazer um casamento dar certo e impedir uma discussão de escalar para uma terrível explosão é cultivar a Inteligência Emocional do casal. Mostrar empatia, saber ouvir, reduzir a tensão, ser capaz de se acalmar e acalmar o cônjuge tornam mais provável que um casal resolva efetivamente suas divergências, permitindo a um casamento florescer e superar as coisas negativas que, se se deixar que cresçam, podem destruí-lo.

Para amenizar as diferenças na maneira como homens e mulheres lidam com os conflitos em seus relacionamentos, cada um precisa de diferentes sintonias emocionais.

Os homens precisam não contornar o conflito, mas compreender que quando a esposa traz alguma queixa ou discordância, pode estar fazendo isso como um ato de amor, tentando ajudar a manter o relacionamento saudável e equilibrado. Os homens também precisam ter o cuidado de não abreviar a discussão, oferecendo uma solução prática cedo demais. É muito importante para a esposa sentir que o marido ouve sua queixa e é empático com seus sentimentos no assunto, embora não precise concordar. Na maioria das vezes, quando uma esposa sente que sua opinião é ouvida e seus sentimentos respeitados ela se acalma.

As mulheres precisam fazer um grande esforço e ter o cuidado de não atacar os maridos, não criticá-los como pessoas nem manifestar desprezo. Queixas não são ataques ao caráter, mas uma clara afirmação de que um determinado comportamento é incômodo.

 


Daniel Goleman, Ph.D., é o presidente do Emotional Intelligente Service (Empresa de Consultoria), em Sudbury, Massachusetts. Ao longo de 12 anos escreveu sobre psicologia e ciências do cérebro para o The New York Times. Editor da revista Psychology Today por nove anos, lecionou em Harvard, onde recebeu o título de doutorado.

John Gottman é professor de Psicologia na Universidade de Seattle, em Washington, e já recebeu vários prêmios nacionais e internacionais por sua inovadora pesquisa sobre relacionamentos. O autor é co-diretor do Marital and Family Institute de Seattle, juntamente com sua esposa, Dra. Julie Schwartz Gottman.